segunda-feira, 7 de julho de 2014

Resenha: O Diário de Anne Frank - Otto Frank


Título: O Diário de Anne Frank
Autor: Otto Frank

Páginas: 378
Edição: 1ª (Edição de Bolso)
Editora: BestBolso
Ano: 2007
Gênero: Biografia

Sinopse: 12 de junho de 1942 - 1° de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de muitos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente seguiu para Auschwitz e mais tarde para Bergen-belsen.



Quando o li pela primeira vez, ainda estava no colegial. Era um exemplar emprestado da biblioteca da escola. Alguns anos depois, reli a edição de bolso que ganhei de meu pai. Um historiador que passou pra mim também essa paixão pela História.
"O Diário de Anne Frank" é um daqueles livros que todos um dia deveriam ler.

"Escrever um diário é uma experiência realmente estranha para alguém como eu. Não somente porque nunca escrevi nada antes, mas também porque acho que mais tarde ninguém se interessará, nem mesmo eu, pelos pensamentos de uma garota de treze anos. Bom, não importa. Tenho vontade de escrever, e tenho uma necessidade ainda maior de tirar todo tipo de coisas de dentro de meu peito."

A judia Anne Frank, de 13 anos de idade,  relata o horror da Segunda Guerra Mundial, o pavor e o sofrimento que ela e sua família passaram em um anexo de um escritório em Amsterdã por tensos anos. E a convivência  com outra família que se juntou a eles.
A triste realidade que encontramos a cada página do livro nos leva a quase respirar aquela atmosfera.
A esperança que Anne Frank tem de que um dia tudo possa melhorar nos emociona.
Não tem como não derramar lágrimas ao ler os relatos de alguém que sentiu na pele o terror que o nazismo deixou.
Acabamos nos envolvendo com Anne Frank de uma forma que ao fechar o livro aquela impressão fica conosco por muito tempo. Isso, com toda a certeza, nos muda de uma forma ou de outra, e nos faz ver as coisas, o mundo de uma forma diferente.
A história da família Frank marcou a literatura.



O único sobrevivente da família Frank foi Otto Frank, o pai de Anne. Que conseguiu escapar da prisão enquanto era transferido.
Após a guerra ele recebeu os diários de sua filha. Um tempo depois Otto decidiu publicar o diário da filha, realizando assim seu maior sonho; o de ser escritora.





0 comentários:

Postar um comentário